quinta-feira, 31 de maio de 2012

Semana de Formação Missionária para Formadores de Seminário

“Kairós da formação nos seminários em vista da Missão”. Este foi o tema norteador das atividades desta quarta-feira, 30 de maio, na 2ª Semana de Formação Missionária para Formadores de Seminário, que acontece na sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM) em Brasília, desde segunda-feira, 28 de maio, e segue até amanhã, 1º de junho.

O secretário nacional da Pontifícia União Missionária, padre Sávio Corinaldesi, foi o responsável pela assessoria da temática. Entre os pontos destacados por ele, está a importância dos seminários formar padres para o mundo, que se sintam do presbitério de determinada diocese, mas que seu trabalho seja sem-fronteiras.

“O seminário deve formar padres que sejam párocos do mundo como o papa João Paulo II falou em sua mensagem em 1990: ‘ser pároco do mundo significa que, independentemente de onde você se encontra, deve estar aberto à dimensão universal da Igreja”, disse ele aos participantes da formação.

Segundo padre Sávio, o Kairós do seminário deve ser aproveitado para que os futuros sacerdotes se sintam parte do povo e, com ele, sintam suas dores, principalmente junto àqueles que mais sofrem. “Kairós é uma palavra grega que significa tempo propício. Neste caso, para se formar missionários. O tempo dos seminários, portanto, é oportuno para formar essa consciência missionária e de amor e pertença ao povo, àqueles que mais sofrem. O sacerdote deve ser amigo dos pobres, defensor da justiça e sentir dor pelo sofrimento do povo”, exortou.

Padre José Vieira Pinto, formador em São José dos Campos (SP), entendeu bem a abordagem do dia e viu nas colocações do padre Sávio, um momento especial para impulsionar seu trabalho com os seminaristas. “Mais do que formação, o tema trabalhado hoje foi um retiro muito proveitoso, onde o padre Sávio nos levou a pensar e a aprofundar a partir da nossa vida a questão missionária que não é algo que vem de fora, mas de dentro e que já devemos estar pensando no interior em vivenciar na Igreja através das nossas atitudes, do anúncio da boa nova; o compromisso de que ser padre hoje é esse chamado de ser pastor que vai ao encontro das pessoas”, ressaltou.

“Para mim é algo novo. Estou começando agora na formação e já me imbuindo desta dimensão tão importante para a vida do presbítero”, sublinhou o formador do Seminário Propedêutico Cura D’ars de Itabira-Coronel Fabriciano, padre Márcio Soares, 35. “As reflexões do curso têm me deixado maravilhado e com certeza volto para minha realidade, com meu trabalho de formador, cheio de esperanças de que posso dar essa contribuição a essa diocese onde eu trabalho na formação dos futuros padres, como também padres missionários”, disse o sacerdote que é formador há apenas quatro meses.

O dia de ontem teve ainda a visita do arcebispo de Palmas (TO) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, dom Pedro Brito Guimarães, que veio dar boas-vindas aos formadores e conclamou a cada dia eles exercerem nos seminários a função de formadores e trabalharem para que de fato os seminaristas sejam missionários.

Também foi acolhido no encontro, ainda nesta quarta-feira, o presidente da Organização dos Seminários e Institutos Filosóficos e Teológicos do Brasil (OSIB), padre Paulo Batista Borges. Ele falou aos participantes da Semana de Formação sobre a preocupação da OSIB em formar futuros presbíteros para a dimensão missionária. “A minha presença neste encontro vem para firmar a preocupação que a OSIB tem de formar os futuros presbíteros nessa dimensão missionária”, disse ele.

A OSIB tem o papel de organizar encontros e cursos para formadores. Acompanhar a formação presbiteral em todo o Brasil e observar como acontece o processo de formação dos futuros reitores para a formação dos futuros presbíteros.

Fonte: CNBB

Egito na lista de países que preocupam sobre a liberdade religiosa

Pelo segundo ano consecutivo o Egito aparece na lista dos países de particular preocupação (“Countries of particular concern” – Cpc) assinalados pelo Secretário de Estado e pela especial Comissão Estadunidense para a liberdade religiosa internacional (U.S. Commission on International Religious Freedom – Uscirf). Segundo o último relatório anual, publicado recentemente, o Governo de transição egípcio “continuou envolvido e tolerando contínuas, sistemáticas e graves violações da liberdade de pensamento, consciência, religiosa ou de fé”.

Entre as principais vítimas das violências sectárias a comunidade cristã: uma centena os coptas assassinados por causa de sua pertença religiosa em 2011, mais de todo o decênio anterior. “Este nível de violência e a não punição dos responsáveis – observa a Comissão – continuaram alimentando um clima de impunidade, aumentado a possibilidade de novas violências”.

O relatório, citado pela agência CNS, releva ainda que as autoridades egípcias não impediram aos meios de comunicação controlados pelo Estado de difundirem conteúdos ofensivos e degradantes contra algumas comunidades religiosas: em particular contra os mesmos coptas, hebreus e baha’i. A Comissão Estadunidense recomenda que a Administração dos Estados Unidos pressione o atual executivo de transição e o futuro governo civil para adotar medidas que possam melhorar a situação da liberdade religiosa no País.

Entre estas a abolição da obrigação de especificar nos documentos a religião de pertença e a introdução de uma legislação igual em matéria de construção e restauração dos lugares de culto. O relatório pede, depois, uma intervenção mais decidida para reprimir os grupos sectários violentos.
 
Fonte: Rádio Vaticano
Local:Washington    

Locais de encontro do Papa com os jovens na JMJ Rio serão anunciados nesta sexta-feira

O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, anunciará nesta sexta-feira os locais onde o Papa estará por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá entre os dias 23 e 28 de julho de 2013, no Rio.

O anúncio será feito durante coletiva de imprensa agendada para as 9h30, na sede da arquidiocese, no bairro da Glória.

Durante a semana da JMJ Rio2013, entre as atividades programadas estão os chamados atos centrais, nos quais milhões de jovens de todo as partes do mundo se encontram para expressar sua fé e viver a fraternidade.

A Jornada tem início com a missa de abertura (dia 23 de julho, terça-feira), presidida pelo Arcebispo do Rio de Janeiro. Na ocasião, Dom Orani dará as boas-vindas aos peregrinos que chegam à cidade.

A cerimônia de acolhida do Papa está prevista para quinta-feira, quando os peregrinos participam de uma grande festa de saudação ao pontífice em sua chegada à cidade-sede do evento.

A Via-Sacra acontece na sexta-feira também com a presença do Papa que, junto aos jovens, faz o percurso das estações da crucificação e morte de Jesus.

Para a Vigília e Missa de Envio com o Papa, os jovens se reúnem desde a tarde de sábado até a manhã de domingo, quando se encerrará a Jornada (28 de julho de 2013).

Após a Missa de Envio, os jovens permanecerão no local para um show artístico que fará parte de um DVD gravado ao vivo, com transmissão para o mundo inteiro.

Na última edição da JMJ, que aconteceu em agosto de 2011, em Madri, na Espanha, estiveram presentes cerca de dois milhões de jovens representando mais de 190 países.


Fonte: Rádio Vaticano
Local: Brasília (DF)    

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Setores da CNBB participam da peregrinação dos Símbolos da JMJ por Goiânia

Na última segunda-feira, dia 28 de maio, a assessora nacional do Setor Universidades da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), irmã Maria Eugenia Lloris Aguado, acompanhou a peregrinação dos Símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em Goiânia (GO). No meio da tarde os Símbolos foram levados à Casa de Prisão Provisória, onde estão presos 1400 pessoas, grande parte jovens entre 18 e 25 anos de idade. A assessora do Setor Universidades acompanhou a visita juntamente com o arcebispo de Goiânia, dom Washington Cruz, a vice-coordenadora nacional da Pastoral Carcerária, irmã Petra Pfaller, padres, religiosos, seminaristas e jovens da arquidiocese de Goiânia.

Pelos diferentes blocos foram feitos momentos de oração e veneração da Cruz e do Ícone de Nossa Senhora. Todos os detentos ganharam a cruz do Bote Fé, como sinal de esperança de um Cristo que vem em socorro deles. "Foi muito importante possibilitar este momento a jovens que por diferentes motivos perderam a possibilidade de fazer uso da sua liberdade. Deus, que veio nos libertar, quis se fazer presente através destes momentos de oração, breves, mas muito intensos", declarou irmã Eugenia.

Segundo a assessora do Setor Universidades, "uma das experiências mais fortes foi nos corredores das celas, onde os presos, com dificuldades, se esforçavam para se aproximar dos Símbolos da JMJ. O desejo de que sentissem a proximidade de Deus, e da Igreja, que lhes desse força para seguir  lutando pela sua liberdade e a vida almejada. O tempo foi muito pouco mas minha oração continua para que as condições de vida deles seja como Deus sempre quis, dignas", disse.

No final da tarde a Cruz peregrina e o Ícone de Nossa Senhora chegaram à Paróquia Universitária São João Evangelista. Às 18 horas o bispo auxiliar da arquidiocese de Goiânia, dom Waldemar Passini Dalbello, presidiu a missa especial de acolhida dos Símbolos para aproximadamente 1500 jovens.

Nas palavras de dom Waldemar: “Deus se encarnou e quis estar naquele caminho do jovem rico para encontrá-lo, como hoje a presença desses ícones revelam o desejo de Deus, que quis se encontrar com cada um de nós”.

Após a celebração, os jovens puderam venerar os Símbolos, tocar e fazer suas orações. No meio da noite, o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, dom Eduardo Pinheiro, falou aos jovens sobre a concretude do amor. "O Amor tem rosto" foi o tema da explanação do bispo.

Em dois ambientes bem diferentes, na Casa de Prisão Provisória e depois na Paróquia Universitária, irmã Eugenia viu a força dos jovens. "Estavam todos cheios de juventude, de vida, de possibilidades. A vontade que fica em nós, depois desses momentos, é continuar gritando: juventude, sejas o que estás chamada a ser!”, enfatizou.

Fonte: CNBB

Diocese de Uruaçu receberá Símbolos da JMJ no dia de Corpus Christi


A chegada dos Símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) na diocese de Uruaçu (GO) vai de encontro com duas grandes solenidades celebradas pela diocese de Uruaçu, o Corpus Christi e os 55 anos de criação da diocese de Uruaçu. Desde o ano passado, diversas equipes estão trabalhando para que os Símbolos da JMJ sejam acolhidos da melhor forma possível.

O bispo de Uruaçu, dom Messias dos Reis Silveira destacou que na diocese, o Bote Fé é o encontro dos jovens, de suas famílias e amigos. “Portanto, venham todos. Não meçam esforços, pois, a Cruz, sinal de salvação e o Ícone de Nossa Senhora estarão conosco! Não percam esta graça!”, convidou.

Os responsáveis pelo Setor Juventude, juntamente com dom Messias, mobilizaram todas as equipe de jovens e padres para elaboração de um grande projeto para que este evento consiga celebrar gloriosamente as solenidades que o mesmo envolve.

A Cruz e o Ícone de Nossa Senhora, durante dois dias – 5 e 6 de junho - percorrerão um longo trajeto nas escolas municipais e estaduais, faculdades, órgãos públicos, centros de recuperação de dependentes químicos, centros de reabilitação, casas religiosas e o seminário.

Será realizada uma Via-Sacra toda encenada e meditada pela avenida principal da Cidade de Uruaçu, onde os jovens farão as reflexões das estações.

Mensagem do Bispo

Queridos Diocesanos e Diocesanas!

"No peito eu levo uma cruz, no meu coração o que disse Jesus"

Estamos em festa e não posso deixar de anunciar com alegria uma palavra a vocês  filhos e filhas de Deus que Ele confiou ao meu pastoreio.

Uma clima gostoso paira em toda Diocese. Um sentimento de alegria se faz presente nos corações esperançosos, pois vamos festejar 55 anos da instalação da Diocese de Uruaçu. Realizaremos uma solene ação de graças por essa história tão bonita feita com o esforço de muita gente. A celebração será no dia 07 de junho, momento auge de nosso Bote Fé e dia de Corpus Christi.

Bendito seja Deus por este dia tão repleto de sentido para nós. É o dia em que celebramos o aniversário da páscoa de nosso primeiro bispo diocesano, Dom Prada, é dia de Corpus Christi, dia do Bote Fé Uruaçu e dia de ação de graças pelos 55 anos de uma história em que as pessoas corajosamente carregaram a cruz guardando em seus corações o que disse Jesus. Isso é ser discípulo. Nossa história é eucaristizada e será celebrada no Corpus Christi, é uma história feita com fé celebrada no dia do Bote Fé, é uma história iniciada com dom Prada, um bispo missionário entre nós, prosseguida por Dom José Chaves que com muito zelo conduziu está Igreja por quase 40 anos e, continuada por mim, pobre servo do Senhor, juntamente com todos vocês. É uma história construída com a participação de muita gente de boa fé.

Convido a todos vocês diocesanos para esta festa. É festa da Igreja, é festa da família. Neste evento daremos destaque à juventude que com sua alegria, beleza e espiritualidade estenderá as mãos para acolher a Cruz missionária de João Paulo II e o Ìcone de Nossa Senhora celebrando com alegria o Bote Fé.

Venham ver e beijar a cruz, ela é única no mundo e está passando nas dioceses preparando o Brasil para a Jornada Mundial da Juventude que acontecerá no próximo ano no Rio de Janeiro com a presença do Papa.

Espero ver aqui em Uruaçu nesta majestosa festa todos padres, diáconos, seminaristas, consagrados e consagradas, religiosos e religiosas, os agentes pastorais da Igreja, líderes de movimentos, todos que participam de pastoral e movimento, crianças, adolescentes, jovens, pais, mães, avós, pessoas das cidades e das comunidades rurais e todos os cristãos que puderem vir. Espero muito por aqueles que se afastaram dos caminhos do Senhor e tomaram outras direções. É tempo de voltar. Teremos uma linda experiência de visibilidade de nossa Igreja Diocesana.

É momento da graça de Deus para nós. Deus nos visitará neste evento e nós queremos acolhê-lo. A cidade de Uruaçu está preparada para receber uma grande multidão. Estamos contando com ajuda dos variados serviços e poderes que servem a sociedade. Tudo está organizado. Teremos vários serviços disponíveis para ajudar as pessoas a viverem bem o dia de fé. Não vão faltar intensos momentos de espiritualidade, formação e lazer.

A alimentação ficará por conta de cada participante. Poderão  trazer alimentos  de casa e teremos praça de alimentação. Os restaurantes de Uruaçu estão preparados para servirem os visitantes. Aconselho os grupos que desejam para que façam a reserva do almoço em algum restaurante evitando assim o tumulto.

Quem desejar vir a partir do dia 05 e ficar  acampado no pátio do Seminário poderá fazê-lo basta apenas comunicar. A programação do evento pode ser vista no Portal da Diocese de Uruaçu. Peço que façam chegar esta notícia ao máximo de pessoas que puderem.

Incentivo a todos a participarem do Tríduo preparatório que será realizado nas paróquias. A oração será muito necessária para a boa realização deste grandioso festejo.

Na esperança de encontrá-los em breve envio a minha bênção episcopal.

Dom Messias dos Reis Silveira
Bispo Diocesano

Fonte: CNBB



 

Bento XVI Papa reafirma confiança nos seus colaboradores e deplora "ilações gratuitas" e suposições irrealistas. O pesar do Papa pelas vítimas do novo terramoto no centro Itália

A concluir a audiência geral desta quarta-feira, na praça de São Pedro, com uns quinze mil peregrinos, Bento XVI referiu-se expressamente aos “acontecimentos ocorridos nestes dias”, envolvendo a Cúria Romana e os seus colaboradores. Se esses factos – observou – contristaram o seu coração, não se ofuscou contudo “a firme certeza de que, não obstante a debilidade do homem, as dificuldades e provações, a Igreja é guiada pelo Espírito Santo (e de que) o Senhor nunca a deixará sem a ajuda que a sustente no seu caminho”.Bento XVI deplorou que se tenham “multiplicado ilações completamente gratuitas, amplificadas por alguns meios de comunicação, indo muito para além dos factos e dando da Santa Sé uma imagem que não corresponde à realidade”. “Desejo, por isso, renovar a minha confiança e o meu encorajamento aos meus mais diretos colaboradores e a todos os que, quotidianamente, com fidelidade, espírito de sacrifício e em silêncio,, me ajudam no cumprimento do meu ministério”.

Prosseguindo o tema que vem desenvolvendo, às quartas feiras, na audiência geral, a catequese do Papa foi dedicada à oração, a partir dos textos paulinos. Eis o resumo desta catequese, pronunciada em língua portuguesa, seguida da saudação aos peregrinos lusófonos:

"Queridos irmãos e irmãs,

A oração é um verdadeiro encontro com Deus Pai, em Jesus Cristo, por meio do Espírito Santo. Assim se encontram o «sim» fiel de Deus, que vem em nosso auxílio e nos conforta, e o «ámen» dos fiéis que, nas provas da vida, se abandonam à vontade divina. A oração perseverante e diária faz-nos sentir, de forma concreta, a consolação do Pai do Céu e a fidelidade do seu amor que foi ao ponto de nos dar o seu Filho na cruz. Por nossa vez, somos chamados a corresponder com o «ámen» duma adesão fiel de toda a nossa vida à sua vontade. Esta fidelidade não se pode alcançar só com as nossas forças, mas vem de Deus e está fundada sobre o «sim» de Cristo, cujo alimento é fazer a vontade do Pai. É neste «sim» que devemos entrar, até podermos repetir, com São Paulo, «já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim». Então o «ámen» da nossa oração pessoal e comunitária envolverá e transformará toda a nossa vida.

Amados peregrinos de língua portuguesa, em particular os participantes no curso de formação dos Capuchinhos e demais grupos do Brasil e de Portugal: a todos dou as boas-vindas, encorajando os vossos passos a manterem-se firmes no caminho de Deus. Tomai por modelo a Virgem Mãe! Fez-Se serva do Senhor e tornou-Se a porta da vida, pela qual nos chega o Salvador. Com Ele, desça a minha Bênção sobre vós, vossas famílias e comunidades eclesiais."

Nas saudações em língua italiano, o Papa recordou “uma vez mais as queridas populações da Região italiana de Emilia, atingidas por ulteriores fortes abalos sísmicos, que têm causados vítimas e enormes danos, especialmente às igrejas”. “Estou próximo com a oração e o afeto aos feridos, como também aos que sofrem situações de mal-estar, e exprimo os mais sentidos pêsames aos familiares dos que perderam a vida. Faço votos de que, com a ajuda de todos e a solidariedade de toda a Nação, a vida normal possa retomar o mais depressa possível nestas terras tão duramente provadas”.

Fonte: Rádio Vaticano

terça-feira, 29 de maio de 2012

Encontro de formação missionária para jovens e assessores da Juventude Missionária – Nível II

A Juventude Missionária animada pela Pontifícia Obra Propagação da Fé já é realidade no Brasil. Esse “passo adiante” se deve, ao crescimento da Infância Missionária e ao esforço da direção nacional na organização e articulação de grupos de jovens missionários dispostos a evangelizar outros jovens. Com o passar do tempo as crianças da IAM cresceram e se tornaram jovens, querendo continuar vivendo a experiência de grupo a espiritualidade da missão universal e sua metodologia surge aí a Juventude Missionária que em pouco mais de seis anos no Brasil vem se espalhando por todas as regiões do país. Temos ainda diversos jovens que mesmo não tendo a experiência da IAM se sentem atraídos pelo carisma da JM, que é a Missão universal, e se tornam também Jovens Missionários.
Por isso, por meio desta carta convidamos para o Encontro Estadual de Formação para jovens e assessores da juventude missionária – 2º Nível.
Tema: Missão à Luz da Palavra de Deus.

Objetivo: Proporcionar aos participantes um conhecimento mais aprofundado a respeito da fundamentação bíblica da missão.
Veja as informações abaixo:

1. Data: 20 de Julho a 22 de Julho de 2012
•    Início com o jantar (18:30 hs) no dia 20 de Julho
•    Término com o almoço(12:30hs) no dia 22 de Julho
2. Taxa( Investimento): R$ 140,00
3. Inscrições
•    As inscrições devem ser realizadas até o dia 10 de Julho , com Tiago, através do e-mail: oclacs@hotmail.com, ou pelo telefone: (18) 9712-9366/(18) 81083677
4. Local Casa de Oração Regina Protmann
Rua Cabo João Teruel Fregoni, 115
Ponte Grande – Guarulhos/SP - CEP: 07032-000
Fone: (11) 2421-7355
             
 Como Chegar: Descer no Metrô Penha, tomar o ônibus Jardim Adriana (nº 443)                                        e descer em frente da Casa de Oração Regina Protmann.

5. Assessoria: Pe. Marcelo Gualberto Monteiro – Secretário Nacional da POPF e JM
6. Vagas por diocese: 03 jovens e 02 assessores adultos

7. O que levar ao encontro?
•    Bíblia, caderno, instrumentos musicais, cantos, dinâmicas;
•    IMPORTANTE: Roupa de cama e objetos de higiene pessoal e Bíblia para trabalhar o tema.

8. Quem está convidado?

-   Jovens a partir dos 15 anos, Adultos e Idosos, que já participaram do encontro de implantação da JM, 1º nível;
-    Jovens, Adultos e Idosos enviados por suas dioceses e que estejam dispostos a participar de todo o encontro;

Jovens Missionários, sempre solidários. 

Fonte: Pe. Marcelo Gualberto Monteiro                         
Secretário Nacional POPF 
e
Tiago Geraldini Scalco
Coordenador Estadual da JM                                                      

OBS: Fichas de Inscrição ( devem ser devolvidas no e-mail até dia 10 de Julho )

Paróquia em São Paulo realiza Corrida e Caminhada da Fraternidade

A corrida de rua é um forte recurso para a evangelização. Essa é a conclusão tirada da segunda edição da Corrida e Caminhada Fraternidade.  Promovido pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida da Vila Arapuá, zona sul de São Paulo, o evento realizado no dia 27/05 ganhou contornos oficiais com o apoio da Federação Paulista de Atletismo, CET, PM e várias empresas patrocinadoras que se surpreenderam com o relacionamento construído com os organizadores.

Na base do evento, além da proposta do lema da Campanha da Fraternidade 2012, “Que a saúde se difunda sobre a terra”, estava o incentivo à prática da corrida e da caminhada como estratégia de melhoria da saúde pessoal e social, e o crescimento da convivência fraterna entre os paroquianos e visitantes que, além de vários bairros de São Paulo, vieram também de outras cidades.

Justamente na Festa de Pentecostes, os mais de 300 participantes inscritos foram envolvidos em um clima de fraternidade e muita descontração. Jovens, crianças e idosos correram ou caminharam vestindo uma camisa branca e azul, confeccionada especialmente para ocasião, onde se vê ao fundo a imagem de N. Sra. Aparecida guiando os corredores e caminhantes. Antes da Largada da prova o pároco, Pe. Ricardo Pinto, fez com todos os participantes uma reflexão evidenciando a força do Espírito Santo como protagonista da “corrida” que todo cristão é chamado a fazer para que a cidade seja mais humana e fraterna, conhecendo e vivendo o Evangelho. Uma oração especial e uma bênção deu a motivação central para o início da prova. Na chegada, houve entrega de medalhas e prêmios e a celebração da missa muito participada e envolvente. Sob uma ótica eclesial, Pe. Ricardo observou que “para além do aspecto esportivo, o evento revelou uma possibilidade de novos métodos para a evangelização”. Evidenciou também que a Corrida e Caminhada da Fraternidade formatou um estilo de interlocução da comunidade eclesial com a cidade para somar forças na promoção da qualidade de vida do bairro e do relacionamento mais autêntico entre as pessoas”. E isso foi percebido por vários participantes.

Para Anderson Tadeu Vitorino, Preparador Físico, “o dia já começou colaborando e foi legal chegar e ver a comunidade recebendo bem a todos, com sorriso no rosto e muito animados”. Para ele, “o percurso foi bem escolhido, bem sinalizado e seguro para os corredores”. Disse também que foi “surpreendido pelo ambiente familiar e acolhedor e que tem vontade de trazer toda a família para participar”. “Super recomendo!”, concluiu. Daniel Costa é Professor de Educação Física e foi convidado para a Corrida por uma amiga da Paróquia da Vila Arapuá. Disse que “pensava que o evento fosse menor, mas logo ao chegar fiquei impressionado com a organização e o tamanho da festa”, disse. “ Participo de diversas corridas e maratonas – continuou – mas as equipes de apoio são muito sérias e centradas na prova. Essa Corrida foi muito animada, e até comentei com  os meus amigos que sempre que possível viremos à essa Paróquia, independente da Corrida, pois achamos o clima muito bom”, refletiu. Como Velocista, Patrícia de Oliveira já participou de muitas provas. Sobre a Corrida da Fraternidade ela sinalizou: “Fiquei impressionada em saber que uma paróquia organizou uma prova legal como esta. Acho importantes essas iniciativas, pois atrai a comunidade para a Igreja e faz com que outras pessoas que não frequentam a Igreja, passem a participar, além de incentivar o esporte como uma prática saudável como estilo de vida”.

Uma outra corredora, Heloísa Furlan, integrante da Equipe  Só corro, fez uma síntese interessante;

“A comunidade está de parabéns! A organização estava impecável, via-se o empenho de todos. Um evento assim chama as pessoas para participarem da comunidade, incentiva a saúde e a fraternidade. A finalidade social é ótima”, concluiu.

o lema da Campanha da Fraternidade 2012: “Que a saúde se difunda sobre a terra”.
O evento foi preparado por uma Oficina de alimentação para combate ao colesterol. Semanas antes, durante uma tarde inteira o grupo da Terceira Idade, senhoras e jovens aprenderam a preparar e degustaram saladas e assados, ensinados por uma chef de cozinha especializada em pratos saudáveis.  


Fonte: Pascom - Par. N. Sra. Aparecida - Vila Arapuá

O Papa em Pentecostes: “Jesus envia à Igreja seu Espírito para que cada cristão possa ser uma sua válida testemunha no mundo”

“Jesus, ressuscitado e elevado ao céu, envia à Igreja seu Espírito, para que cada cristão possa participar de sua própria vida divina e ser uma válida testemunha no mundo. O Espírito Santo, ao chegar à história, derrota a aridez, abre os corações à esperança, estimula e favorece em nós o amadurecimento interior na relação com Deus e com o próximo”. Com estas palavras, o Santo Padre iniciou a oração mariana do Regina Caeli de domingo de Pentecostes, 27 de maio.

O Papa também anunciou que em 7 de outubro, no início da Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, proclamará São João D’Ávila e Santa Hildegarda de Bingen Doutores da Igreja universal. “Estas duas grandes testemunhas da fé viveram em períodos históricos e ambientes culturais bastantes diferentes – disse o Santo Padre. Mas sua santidade da vida e profundidade da doutrina os tornam perenemente atuais... Sobretudo à luz do projeto de uma nova evangelização, à qual será dedicada a citada Assembleia do Sínodo dos Bispos, e às vésperas do Ano da Fé, estas duas personalidades de Santos e Doutores têm importância relevante e atualidade. Também em nossos dias, por meio de seu ensinamento, o Espírito do Senhor ressuscita e faz ecoar a sua voz e iluminar o caminho que conduz à única Verdade que pode nos libertar e dar pleno sentido à nossa vida”.

Na Solenidade de Pentecostes, o Pontífice presidiu a Celebração Eucarística na Basílica Vaticana, concelebrada por Cardeais, Arcebispos e Bispos. Na homilia, recordou que “este mistério constitui o batismo da Igreja, é um evento que lhe deu, por assim dizer, a forma inicial e o impulso para sua missão”.

Detendo-se no “aspecto essencial do mistério de Pentecostes”, Bento XVI evidenciou que “é a festa da união, da compreensão e da comunhão humana”; mas “a unidade pode existir somente com o dom do espírito de Deus, que nos dará um coração novo e uma língua nova, uma nova capacidade de comunicar. E isto é o que aconteceu em Pentecostes... O medo desapareceu, o coração sentiu uma nova força, as línguas se dissiparam e começaram a falar com franqueza, para que todos entendessem o anúncio de Jesus Cristo morto e ressuscitado. Em Pentecostes, onde havia divisões, surgiram unidade e compreensão”.

Fonte: Agência Fides
Local: Cidade do Vaticano

Dom Orani apresenta os patronos e intercessores da JMJ Rio2013

Sob o manto da Padroeira do Brasil, a guarda do Soldado de Cristo, com o coração jovem, em missão e cheio de paz. Assim está a JMJ Rio2013 com a proteção de seus patronos.

São eles:


Nossa Senhora da Conceição Aparecida;
São Sebastião;
Santo Antônio de Santana Galvão;
Santa Teresa de Lisieux;
Beato João Paulo II.

O lançamento aconteceu na tarde deste domingo, 27 de maio, no Santuário da Penha. Ao todo, são cinco patronos e 13 intercessores. Mas qual a diferença entre os dois:

Patronos - pais espirituais dos jovens

Os patronos são os pais espirituais dos jovens, lhe ensinam, como verdadeiros pais e mestres, os caminhos para santidade. Foram escolhidos por estarem intimamente ligados ao espírito da JMJ Rio 2013. Dentre estes estão também representantes da nação. O tema missionário inspira o pedido por proteção e entusiasmo para enfrentar os desafios da evangelização nos dias atuais. Oração e ação são dimensões inseparáveis dos discípulos-missionários de Jesus Cristo.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, protetora da Igreja e das famílias!
São Sebastião, Soldado e mártir da fé!
Santo Antônio de Santana Galvão, arauto da paz e da caridade!
Santa Teresa de Lisieux, padroeira das missões!
Beato João Paulo II, amigo dos jovens!
 
Os Intercessores, são modelos a serem imitados

Os jovens desejam encontrar-se com a verdade que dê sentido a sua existência. Dentre os intercessores escolhidos para a JMJ Rio 2013 estão homens e mulheres que mesmo na juventude souberam escolher a melhor parte em suas vidas: Jesus Cristo. A história de suas vidas inspira-nos a cultivar suas virtudes. O número 13 poderia apontar para o ano da Jornada, mas, além disso, atesta para todos que a santidade na vida concreta é possível. A geração JMJ é convidada a entregar sua vida àquele que concede felicidade e liberdade em abundância.

Santa Rosa de Lima, fiel à vontade de Deus!
Santa Teresa de Los Andes, contemplativa de Cristo!
Santa Laura Vicuña, mártir da pureza!
Beato José de Anchieta, apóstolo do Brasil!
Beata Albertina Berkenbrock, virtuosa nos valores evangélicos!
Beata Chiara Luce Badano, toda entregue a Jesus!
Beata Irmã Dulce, embaixadora da Caridade!
Beato Adílio Daronch, amigo de Cristo!
Beato Pier Giogio Frassati, amor ardente aos pobres e a Igreja!
Beato Isidoro Bakanja, mártir do escapulário!
Beato Ozanam, servidor dos mais pobres!
São Jorge, combatente do Mal!
Santos André Kim e companheiros, mártires da evangelização!

Entretanto, nos dias passados foi formado o Conselho da Jornada Mundial da Juventude JMJ Rio2013, durante uma cerimônia no Palácio São Joaquim, residência do Presidente do Comitê Organizador Local (COL) e Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta. Identidade, integridade, fidelidade, finalidade e exeqüibilidade: essas são as características atribuídas ao Conselho. Composto por cerca de 30 pessoas das mais variadas áreas de atuação, como juristas, empresários e educadores, o Conselho acompanhará o trabalho desenvolvido pelo COL em seu conjunto, mas atuando também diretamente junto aos setores. A instituição do Conselho estava já prevista no estatuto do Instituto Jornada Mundial da Juventude, forma jurídica do COL.

Sobre o trabalho do COL, Silvonei José conversou com o Diretor Geral da JMJ Rio2013, Mons. Joel Portella Amado.
 

Fonte: Rádio Vaticano
Local:Rio de Janeiro (RJ)    

Euro2012: viver o futebol como ocasião de unidade e fraternidade

Um apelo por uma rivalidade saudável, em favor de um espírito de unidade e fraternidade: faltando dez dias para a inauguração do Campeonato Europeu de Futebol, que será realizado na Polônia e na Ucrânia, o episcopado polonês convida os atletas a viverem a competição como um momento para reforçar a solidariedade, a confiança, a tolerância e a amizade.

Os mesmos sentimentos, segundo os bispos, devem predominar nos torcedores de todo o continente, que no passado protagonizaram cenas de violência: "Que todos os torcedores se respeitem reciprocamente, apreciem a rivalidade saudável e, na derrota, vejam um impulso a empreender um maior esforço desportivo”, escrevem.

Por sua vez, o povo polonês é convidado a observar a tradicional hospitalidade segundo o provérbio que diz “Gosc w dom Bog w dom” (o hóspede em casa é como Deus em casa).

A mensagem recorda por fim que a Igreja local está disponível a oferecer vários serviços pastorais aos torcedores estrangeiros em sua chegada à Polônia, mas pede também respeito recíproco “pela nossa cultura e fé”.
 
Fonte: Rádio Vaticano
Local: Varsóvia

SPOT 3 Congresso Missionário Nacional

3º Congresso Missionário Nacional

 A Igreja no Brasil se prepara para o 3º Congresso Missionário Nacional (3º CMN) que reunirá nos dias 12 a 15 de julho em Palmas (TO), cerca de 600 pessoas de todas as regiões do país. O Congresso terá como lema "Como o Pai me enviou, assim eu vos envio" (Jo 20,21) e tema "Discipulado missionário: do Brasil para um mundo secularizado e pluricultural à luz do Vaticano II"

Fonte: Revista Missões

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Lançamento dos patronos e intercessores da JMJ Rio2013

No próximo dia 27 de maio, jovens do mundo inteiro conhecerão os nomes dos santos e beatos que serão os patronos e intercessores da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013. O lançamento será no Santuário da Penha, no Rio de Janeiro (RJ). É esperado um público entre cinco e dez mil pessoas.

O evento tem início com a oração do terço a partir das 14h na Igreja do Bom Jesus da Penha (Av. Brás de Pina, 181), de onde sairá a procissão até o Santuário da Penha (Largo da Penha, 19). A cerimônia de lançamento dos intercessores e patronos da JMJ está prevista para as 16h.

Os nomes serão divulgados após a Missa de Pentecostes, que acontecerá na Concha Acústica do Santuário. A celebração será presidida pelo presidente do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio2013 e arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, seguida da tradicional coroação da imagem de Nossa Senhora da Penha. A missa marcará também o encerramento do Mês Mariano na arquidiocese do Rio de Janeiro.

Em seguida, dom Orani subirá a escadaria junto à procissão, com o andor de Nossa Senhora da Penha. Ao longo do percurso, nos degraus, grupos de jovens estarão segurando estandartes com as imagens dos intercessores em 13 pontos.

A apresentação dos patronos será no topo da escadaria da Penha. Os estandartes com as imagens estarão presos na fachada da Igreja da Penha e no momento em que forem anunciados serão revelados.

Fonte: CNBB

Políticas públicas de juventude será tema de debate em São Paulo

No próximo dia 31, pessoas que trabalham com a temática de juventude poderão discutir sobre o assunto no ciclo de capacitação Diálogos sobre políticas de juventude: os desafios das políticas setoriais. O evento, promovido pela Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo, é aberto ao público e as inscrições podem ser feitas pelo correio eletrônico: juventude@sp.gov.br

Janaína Lima, coordenadora de juventude da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado, explica que a intenção é "capacitar gestores e servidores da administração pública e pessoas que trabalham com programas e projetos para a juventude; e difundir o conhecimento para a sociedade".

As capacitações serão destinadas prioritariamente a gestores/as e servidores/as que atuam na área, mas, segundo ela, isso não impede a participação da sociedade civil. "É uma forma de aproximar o poder público da sociedade", comenta, ressaltando a importância da união de todos os setores no enfrentamento aos desafios e problemáticas que afetam a juventude.

Segundo a coordenadora, o evento faz parte de um ciclo de capacitações dividido em oito momentos. Ao longo deste e do próximo ano, os/as interessados/as poderão aprofundar os conhecimentos em questões voltadas para a juventude, como políticas públicas, educação, emprego, drogas, sexualidade, e diversidade.

Neste primeiro ciclo, os temas escolhidos foram: "Introdução ao Conceito de Políticas Públicas e o Panorama da Juventude do Estado de São Paulo" e "Drogas: Consumo, Prevenção e Tratamento". A atividade ocorrerá das 8h às 18h do dia 31 de maio no Auditório Franco Montoro da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e contará com a presença de pesquisadores/as e profissionais que trabalham na área.

As discussões de políticas públicas, por exemplo, terão a participação do professor Fernando Coelho, coordenador do Curso de Graduação em Gestão de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo (USP), e das analistas de Projetos da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade): Lúcia Mayumi Yazaki e Ana Lúcia de Siqueira Brito.

Já as reflexões sobre drogas terão a presença de: Luiz Alberto Chaves de Oliveira, coordenador de Políticas sobre Drogas do Estado de São Paulo; Arthur Guerra de Andrade, presidente-executivo do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa); e Ronaldo Laranjeira, diretor do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas do Álcool e outras Drogas (Inpad).

"Vamos conhecer iniciativas [de enfrentamento] que já estão dando certo, conhecer o drama e os tratamentos", afirma, destacando a importância de discutir a temática das drogas, já que, segundo ela, "o jovem é muito mais vulnerável a esses dramas sociais".

Mais informações em: http://www.juventude.sp.gov.br/

Fonte: Karol Assunção - Adital

"Todos seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo."


Falar com Deus para poder falar de Deus. Encontrá-Lo para poder testemunhá-Lo: Bento XVI aos Bispos Italianos

A nova evangelização requer pessoas adultas na fé, pessoas que se encontraram profundamente com Deus, com Cristo, que passou a ser o grande ponto de referência na própria vida. A primeira condição para falar de Deus é sempre o falar com Deus. Estes alguns dos aspetos sublinhados com vigor por Bento XVI, no discurso dirigido nesta quinta ao meio-dia, no Vaticano, aos Bispos Italianos, reunidos na sua assembleia geral da primavera.

O Papa centrou a sua intervenção na missão da Igreja, hoje, no meio das profundas transformação em curso. De certo modo a questão de fundo enfrentada pelo Concílio Vaticano II: “Igreja, que dizes de ti mesma?”. A cinquenta anos da sua abertura, o Vaticano II – observou – “constitui o caminho para individuar as modalidades com que a Igreja pode oferecer uma resposta significativa às grandes transformações sociais e culturais do nosso tempo, com consequências visíveis também na dimensão religiosa”. Mas isso – precisou – “não, está claro, na ótica de uma inaceitável hermenêutica de descontinuidade e de rutura, mas sim de continuidade e de reforma”. Trata-se, sempre, de centrar-se no essencial:

“a nossa situação requer um renovado impulso centrado sobre o que é essencial na fé e na vida cristã. Num tempo em que Deus se tornou para muitos o grande Desconhecido e Jesus (é visto) apenas (como) um grande personagem do passado, não se poderá relançar a ação missionária sem renovar a qualidade da nossa fé e da nossa oração. Não seremos capazes de oferecer respostas adequadas, se não acolhermos de novo o dom da Graça, Não saberemos conquistar os homens para o Evangelho, sem voltarmos - nós próprios, antes de mais – a uma profunda experiência de Deus”.

Grande, fundamental problema do nosso tempo, nomeadamente nos países de antiga tradição cristã, é o facto de Deus ser excluído do horizonte das pessoas”.
“Quando não encontra indiferença, bloco ou recusa, o discurso sobre Deus, acaba por ser relegado para o âmbito subjetivo, reduzido a facto íntimo e privado, marginalizado da consciência pública. Passa por este abandono, por esta falta de abertura ao Transcendente, o coração da crise que fere a Europa, crise espiritual e moral. O homem tem a pretensão de ter uma identidade completa simplesmente em si mesmo”.

A racionalidade científica e a cultura técnica – advertiu o Papa – não só tendem a uniformizar o mundo, mas assumem a pretensão de delinear o perímetro das certezas da razão, tendo como único critério as próprias conquistas. A tradição cristã, que fazia parte do tecido cultural, deixou de ser uma referência unificadora, capaz de abranger toda a existência humana. Neste contexto, “a nossa primeira, verdadeira e única tarefa – sublinhou o Papa, com significativa insistência – continua a ser empenhar a vida naquilo que vale e permanece, o que é efetivamente fiável, necessário, último”.
“Os homens vivem de Deus, Aquele que tantas vezes de modo inconsciente e apenas como que às apalpadelas eles procuram para dar pleno significado à existência. Nós temos a tarefa de O anunciar, de O mostrar, de guiar até ao encontro com Ele. Mas é sempre importante recordarmo-nos que a primeira condição para falar de Deus é falar com Deus, é tornarmo-nos cada vez mais homens de Deus, alimentados por uma intensa vida espiritual de oração e plasmados pela sua Graça.”

“Quereria dizer a cada um: deixemo-nos encontrar e assumir por Deus, para ajudar todas as pessoas com que nos cruzamos a serem atingidas pela Verdade. É deste relação com Ele que nasce a nossa comunhão e se gera a comunidade eclesial, que abraça todos os tempos e lugares para constituir o único Povo de Deus”.

No meio das grandes transformações que vão afetando amplos extratos da humanidade – sublinhou o Papa citando o seu antecessor Paulo VI – a tarefa da Igreja é hoje em dia a de “atingir e como que modificar pela força do Evangelho os critérios de julgar, os valores que contam, os centros de interesse, as linhas de pensamento, as fontes inspiradoras e os modelos de vida da humanidade, que se apresentam em contraste com a Palavra de Deus e com o desígnio da salvação”. Para tal, recordou o Papa a concluir, em alusão ao tema desta assembleia episcopal, é necessário que haja pessoas adultas “maduras na fé e testemunhas de humanidade”.

“Velai e atuai para que a comunidade cristã saiba formar pessoas adultas na fé porque encontraram Jesus Cristo, que passou a ser a referência fundamental da sua vida. Pessoas que O conhecem porque O amam e amam-no porque O conheceram. Pessoas capazes de oferecer razões sólidas e credíveis de vida”.

Fonte: Rádio Vaticano
Local: Cidade do Vaticano

Encontro Inter-religioso debate cenário amazônico

Um momento de diálogo com as religiões tradicionais e com outras religiões para a defesa do meio ambiente. Este foi o objetivo do seminário “Conhecer religiões e ecologia no cenário amazônico”, realizado nos dias 18 a 20 de maio, em Porto Velho (RO).

A iniciativa do regional Noroeste da CNBB teve o apoio das Comissões Episcopais Pastorais para a Amazônia e a do Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso. Participaram representantes de diferentes denominações religiosas, cristãs e não cristãs.

Os assessores do evento foram o professor Marcos Teixeira, da Universidade Federal de Rondônia; a assessora da Comissão Episcopal para a Amazônia, Irmã Irene Lopes, e o presidente da Comissão para o Ecumenismo, dom Francesco Biasin.

Na avaliação do bispo, o encontro foi muito rico, pois reuniu homens e mulheres de fé, preocupados com a harmonia e o equilíbrio da natureza. “Percebemos que juntos devemos defender este imenso valor que é a Criação de Deus, no qual nós vivemos”.

Os participantes do encontro debateram ações em relação ao impacto das obras de usinas hidrelétricas na região. “Percebi que a questão precisa ser repensada. O impacto ambiental nos rios e nas florestas, bem como aos povos ribeirinhos e indígenas, é muito grande. É importante ouvir estes povos, e junto com eles defender os valores da ecologia, do meio ambiente e preservá-los”, afirmou dom Francesco.

Fonte: CNBB

“A diversidade, quando colocada à serviço da comunhão, é uma riqueza”, disse dom Biasin

O convite é para que todos os cristãos possam entrar num processo permanente de conversão, trabalhando pela vitória de Cristo, que começa com a promoção da unidade entre os cristãos. Este é o desejo da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, promovida pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) com o apoio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

A Semana de Oração ocorre no período que antecede a celebração de Pentecostes, este ano de 20 a 27 de maio. A temática proposta sempre busca indicar o caminho de conversão que todos os cristãos são chamados a fazer, como explica o presidente da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso da CNBB, dom Francisco Biasin. “Queremos seguir o exemplo de Jesus, que não impôs a unidade, mas orou por ela”.

O bispo recorda que os vinte séculos do cristianismo tem muitas marcas de divisão, e que isto é obra humana. “A obra de Deus é a comunhão e a unidade”. Por este motivo, Biasin lembra que cada cristão deve rezar pela unidade e trabalhar por ela, apesar das dificuldades e resistências que possa estar no coração de cada um.

O tema proposto para a Semana de Oração 2012 - “Todos seremos transformados pela vitória de Nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Cor 15,51) -  leva os cristãos a uma meditação sobre a ação constante da oração de Jesus. “Muitas vezes ele usou esta palavra. ‘Que todos sejam um’ (Jo 17,21); ‘Quando eu serei levantado da terra, atrairei todos a mim’ (Jo 12,32). Ele invoca o Pai e implora a unidade para todos os seus discípulos. E a unidade, de fato, é um dom. O próprio Deus vive a comunhão nas três divinas pessoas. A unidade das igrejas, dos discípulos de Jesus, deve se espelhar nesta comunhão da Trindade”, explica dom Biasin. logo_souc

Mas quando se pensa na unidade dos cristãos, surgem questionamentos sobre como ela deve ocorrer de forma concreta. Dom Biasin explica que para sermos “um só rebanho e um só pastor”, não é preciso estar na mesma igreja, mas valorizar a riqueza de cada uma. “Que todas as igrejas façam um esforço de conversão ao Senhor Jesus e assim possam convergir, do local onde estão para Jesus. Mais próximas d’Ele, cada uma com o seu caminho feito, seremos discípulos de muitas faces, mas não de uma cara só”. 

O principal subsídio para reflexão durante a Semana de Oração é um caderno de oração, que foi inicialmente elaborado pelas igrejas da Polônia. “País marcado por histórias de sofrimento, mas também por muita coragem e resistência. Testemunhando a sua firmeza na fé este povo venceu inúmeros desafios”, avalia o tesoureiro do CONIC, pastor Altemir Labes, na carta da entidade por ocasião da Semana de Oração. Depois de adaptado, o subsídio foi publicado em conjunto pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos do Vaticano e pela Comissão de Fé e Ordem do Conselho Mundial de Igrejas, de Genebra. No Brasil, a publicação foi traduzida pela CNBB e adaptada para a realidade brasileira pelo CONIC.

Para o presidente da Comissão para o Ecumenismo, um aspecto forte da Semana de Oração e do constante diálogo ecumênico é o encontro com a diversidade. “Quando ela é colocada a serviço da comunhão, ela se torna uma riqueza. Uma vez unidos, esta diversidade colocada em comunhão, enriquece a todos”.

Mais que uma ação institucional, o ecumenismo deve ser uma atitude pessoal, que exige de cada um a disponibilidade para abrir-se ao outro, como explica dom Biasin. “Quando a gente se abre ao outro, a gente por um lado perde, e por outro se enriquece muito. Na medida em que você se esvazia de sua riqueza para acolher o outro, então este perder se torna um grande enriquecimento. É um perder pra ganhar, não com a intenção do ganho, mas na dinâmica trinitária, quem perde, se esvazia, está disposto a acolher a riqueza do outro, sem perder a própria, pois a doa também a quem se aproxima”.

Fonte: CNBB

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Corrida de rua marca contagem regressiva para a JMJ Rio 2013

Uma corrida de rua, que vai acontecer no dia 22 de julho em todas as dioceses do Brasil, marcará o início da contagem regressiva de um ano para a Jornada Mundial da Juventude Rio 2013. Esse é o Bote Fé na Vida, uma iniciativa da Igreja do Brasil que visa integrar esportes e evangelização.

O lançamento do Bote Fé na Vida aconteceu neste domingo, 20 de maio, durante o Seminário Nacional de Jovens Comunicadores, em Brasília, com a participação do triatleta Diego Ciarrocchi, que vai participar da organização do evento. Ele lembrou que a corrida é a segunda atividade esportiva mais praticada no Brasil e anunciou que esse será apenas o primeiro evento, pois outros esportes também serão contemplados posteriormente.

As inscrições serão descentralizadas, feitas em cada diocese. Para as dioceses se organizarem, foi preparado uma sessão especial no site Jovens Conectados com várias dicas.

Acesse www.jovensconectados.com.br

Fonte: CNBB

O drama das crianças da Bolívia: trabalho precoce e abandono

Na Bolívia, existem 20 mil crianças totalmente abandonadas por suas famílias, e a maior parte provavelmente está alojada nos centros de acolhimento familiar. Além disso, 800 mil menores trabalham para ajudar economicamente suas famílias. Segundo a associação Educación Radiofónica de Bolívia (ERBOL), rede de rádio e instituições populares de inspiração cristã que lidam com a comunicação educativa em favor da população do país, 70% das crianças e adolescentes bolivianos sofrem vários tipos de violência.

Para enfrentar estas situações de emergência, o Servicio Departamental de Gestión Social (Sedeges) e o UNICEF lançaram recentemente o "Vivo mi niñez y adolescencia con buen trato", com o objetivo de conscientizar a população sobre a urgência eliminar todos os tipos de violência contra esta vulnerável faixa da sociedade. O Sedeges tem 16 centros de acolhimento em todo o país, que hospedam crianças e adolescentes abandonados, órfãos ou que sofreram abuso físico e psicológico.

Fonte: Fúlvio Costa - POM

Nova coordenação estadual para a Juventude Missionária de Alagoas

As três dioceses de Alagoas (Maceió, Penedo e Palmeira dos Índios) acolheram nos dias 18 a 20, o Encontro Estadual de Formação para Jovens Missionários. Participaram 30 jovens. O encontro foi assessorado pelo secretário nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé e Juventude Missionária, padre Marcelo Gualberto.

O encontro teve por objetivo levar ao conhecimento dos jovens as atividades desenvolvidas pela Juventude Missionária, além de seu carisma, identidade e metodologia. "Neste encontro de implantação da JM, insistimos na metodologia das quatro áreas integradas (ver, iluminar, agir e celebrar) que é a coluna vertebral de toda obra das Pontifícias Obras Missionárias (POM) e que tem atraído de crianças a idosos, perpassando os jovens, as famílias e os enfermos", comentou o secretário.

O 3º Congresso Missionário Nacional, que será realizado em Palmas (TO) de 12 a 15 de julho, também foi pauta do encontro. Isso porque um dos mutirões do evento será sobre a Infância, Adolescência e Juventude Missionária. Destaque também para o processo de evangelização da juventude até 2013 que vem acontecendo pelas dioceses do Brasil, por meio do evento Bote Fé, os seminários nacionais de comunicação, bioética e missão. Trata-se de eventos com enfoque na juventude em preparação à Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio 2013) e a semana missionária que acontecerá em todas as dioceses do país e antecede a Jornada.

Além das discussões e atividades, houve troca de coordenação estadual da JM que agora fica formada pelos jovens Luana e o Walace, ambos de Arapiraca. Há dois anos eles já estavam à frente da JM na articulação. Neste encontro foi escolhido ainda um jovem de cada diocese para representar a Juventude Missionária: Lucas, da diocese de Penedo e João pela arquidiocese de Maceió. O jovem da diocese de Palmeira dos Índios será indicado pelo bispo. Lucas é, portanto, o novo coordenador estadual. Ele conta com a assessoria adulta da Silvia e do seminarista Antonio.

"Agradecemos toda dedicação e disponibilidade dos jovens Walace e Luane neste anos de articulação da JM em Alagoas. Aos novos articuladores desejamos muita força para ajudar a JM de alagoas cada dia mais testemunhar sua missionariedade e assim produzir frutos para Igreja do Brasil e do mundo", completou padre Marcelo.

Fonte: Fúlvio Costa - POM

A vida missionária no Alto Solimões, AM

O Documento de Aparecida afirma: "A vida se acrescenta doando-a, e se enfraquece no isolamento e na comodidade. De fato, os que mais desfrutam da vida são os que deixam à margem a segurança e se apaixonam pela missão de comunicar vida aos demais. Vive-se muito melhor quando temos liberdade interior para doá-la." (360). Essa verdade já motivou inúmeros cristãos a assumirem a missão além-fronteiras.

A diocese do Alto Solimões, AM, é um campo fértil para os trabalhadores da vinha do Senhor. No coração da Amazônia continental esse pedaço de chão fronteiriço clama por missionários comprometidos com os Povos Indígenas, ribeirinhos, urbanos e imigrantes. As palavras do bispo diocesano, dom Alcimar, expressam a urgente necessidade da ação evangelizadora da Igreja: "A diocese de Alto Solimões é outro Brasil. Uma realidade distante que poucos conhecem e que, por causa de suas peculiaridades, necessita de pessoas, missionários capacitados, que entendam os indígenas e sua cultura para poder desenvolver atividades, projetos e missão junto a este povo".

O território geográfico diocesano compreende os municípios de Amaturá, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Tabatinga e Tonantins, e fica no extremo-oeste do estado do Amazonas. Faz limite com dois países: Colômbia e Peru, a diocese de Cruzeiro do Sul (AC-AM) e a Prelazia de Tefé (AM). Em linha reta, está há 1.100 km de Manaus, capital do estado. Sua sede fica no município de Tabatinga. Por razões históricas, leva o nome de um dos principais rios do Amazonas. É composta por oito paróquias, sendo que uma delas, Belém do Solimões, é território dos povos Tikuna.

A população indígena em toda diocese é de aproximadamente 40 mil pessoas. Há 20 anos tem como bispo o frei capuchinho dom Alcimar Caldas Magalhães.

Luciney Martins Celebração de envio do padre Isaías e Izalene para a Amazônia A região tem uma densidade demográfica de 1,4 h/km² (habitante por quilômetro quadrado), uma população de pouco mais de 190 mil habitantes e superfície de 145.000 km². Possui um dos menores IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil. A renda per capita também é uma das menores do país, bem como o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação) e a taxa de analfabetismo.

Já deu pra perceber que os desafios são imensos: tráfico de drogas, mobilidade humana, violência urbana exacerbada, escassez de políticas públicas, distâncias enormes, meios de comunicação precários, serviço de saúde deficiente, sobretudo para os indígenas, falta de sacerdotes, missionários e de leigos comprometidos, recursos econômicos escassos, entre outros.

A missão além-fronteiras exige do enviado de Deus uma série de virtudes, mas também torna transparente as suas fraquezas. O missionário não é o messias esperado, mas um humilde portador da luz divina. Essa luz ilumina a beleza do local onde ele pisa e a surpresa de Deus para aqueles que o recebem. Missão é uma troca de dons. Deus presenteia o missionário com o espetáculo da diversidade, e o campo missionário com a magia da criatividade. A certeza que sustenta a obra missionária é a promessa de Deus: "Você é meu servo. Eu escolhi você. Desde os confins do mundo eu tomei você e o chamei dos extremos da terra. Não tenha medo, pois estou com você. Não precisa olhar com desconfiança, pois eu sou seu Deus. Eu fortaleço você, eu o ajudo e o sustento com minha direita vitoriosa" (Is 41,8-10).


Fonte: Revista Missões - Isaías Daniel e Izalene Tiene - Padre Isaías Daniel e Izalene Tiene, missionários do Regional Sul 1 da CNBB na diocese do Alto Solimões - AM


Dom Orani João Tempesta - JMJ RIO 2013 A Jornada e a visão realista da vida

Uma das características dos jovens católicos que participam das mjm é justamente  o realismo vivido, celebrado e anunciado.

Juntamente com o entusiasmo na construção de um mundo novo com Cristo, os jovens puderam refletir também sobre as dores do mundo. Além das infelizes manifestações dos que eram contrários à presença  católica em terras de Espanha, no dia 19 de Agosto passado, precedidos pela emblemática cruz da Jornada Mundial, os Jovens puderam meditar os passo da paixão de Cristo e ouvir a mensagem de Bento XVI, que mos acompanhou em toda a Via Sacra. Ela evocou os sofrimentos de jovens de várias partes do mundo. "Que o amor de Cristo por nós aumente a vossa alegria e vos anime a permanecer  junto dos menos favorecidos. Vós que sois tão sensíveis á ideia de partilhar a vida com os outros, não passeis ao largo quando virdes o sofrimento humano, pois é aí que Deus vos espera para dardes o melhor de vós mesmos: a vossa capacidade  de amar e de vos compadeces. As diversas formas de sofrimento, que foram desfilando diante dos nosos olhos  ao longo da Via Sacra, são apelos do Senhor para edificarmos as nossas vidas seguindo os seus  passos e para nos tornarmos sinais do seu conforto e salvação", afirmou o Papa.

Recordando ainda as dificuldades e as duras realidades de nosso tempo, no dia 22 de agosto, o Santo Padre realizou uma visita à fundação Instituto São José, em Madri, que acolheu jovens deficientes. Bento VXI se confraternizou afetuosamente com esses jovens, muias vezes marginalizados e ignorados, dirigindo-lhes uma expressiva saudação. "A nossa sociedade - aonde  demasiadas vezes se põec em dúvida a dignidade inestimável da vida, de cada vida - precisa de vós: vós contribuís decididamente para edificar a civilização do amor. Mais ainda, sois protagonistas desta civilização", afirmou. Para o Papa, o sofrimento na vida dos jovens expressa a grandeza a que é  chamado o homem: compadecer-se e acompanhar  quem sofre. Ele explicou que " quem leva a dor e o sofrimento".

Ainda que expostos o dia todo ao forte calor que fazia e depois a uma intensa ventania seguinda de chuva, os jovens permaneceram firmes, participando de cada momento  da vigília. O próprio Santo Padre, diante da resistência dos jovens, mesmo tomando chuva e instado a retirar-se devido à sua idade avançada, decidiu por ficar. Foram momentos de intensa oração e silêncio, sobreetudo durante a adoração ao Santíssimo Sacramento. Depois de vários minutos sob a chuva, quando ela diminuiu um pouco, o Papa se dirigiu aos peregrinos que não  se deixaram desanimar, com um:"Jovens, obrigado por sua resistência! A força de vocês é maior do que a chuva!", acrescentou."O Senhor, com a chuva, nos envia muitas bênçãos. Também nisso vocês são um exemplo".

Com jovens assim, teremos certeza de construir a civilização do amor!

Fonte: Dom Orani João Tempesta, O. Cist.
Local: São Sebastião (RJ)

terça-feira, 22 de maio de 2012

Encontro Vocacional: 200 jovens dispostos a se consagrar

Caminho Neocatecumenal reúne mais de 7 mil jovens na Guatemala

Cerca de 7.100 jovens salvadorenhos e guatemaltecos do Caminho Neocatecumenal participaram do Encontro Vocacional Esquipulas 2012, no domingo retrasado (13 de maio), data do 95º aniversário da aparição de Nossa Senhora de Fátima em Portugal.

Esquipulas é um importante centro de peregrinação para os católicos da América Central, principalmente para os devotos do Cristo Negro ou Senhor de Esquipulas, uma imagem de Cristo crucificado venerada ali desde março de 1595.

Na madrugada de domingo, os quase 5 mil salvadorenhos que participaram do encontro renunciaram ao sono e embarcaram nos ônibus que partiam das dioceses de Sonsonate, Santa Ana, San Miguel, Santiago de María, Zacatecoluca e San Salvador, para encarar os 200 quilômetros até a Guatemala. Por sua vez, os guatemaltecos vinham de Verapaces, Zacapa e Santo Cristo de Esquipulas, Cidade da Guatemala, Santiago de Guatemala e Santa Rosa de Lima.

Depois da leitura da Segunda Carta aos Coríntios, o bispo de Zacapa, dom Rossolino Biancheti, convidou os presentes a olharem para o Cristo crucificado e entenderem que ele diz a cada um: "Eu te escolhi". Invocado o Espírito Santo, o bispo convidou os jovens que se sentissem chamados ao sacerdócio a evangelizarem um país distante. 90 rapazes receberam a imposição de mãos do bispo e 110 meninas se levantaram, sinalizando que se sentiam chamadas à vida contemplativa ou a viver em virginidade nas suas próprias comunidades ou como catequistas itinerantes.

Fonte: Zenit
Local: Esquipulas - Guatemala

Seminário debate Africae Munus no leste da África

Está em andamento em Nairóbi, no Quênia, um Seminário sobre a aplicação da Exortação Apostólica Pós-Sinodal Africae Munus, de Bento XVI.

O Seminário foi organizado pela Associação das Conferências Episcopais da África Oriental (AMECEA), para refletir sobre as estratégias de comunicação mais idôneas para aplicar a Exortação Apostólica.

O evento, de 21 a 25 de maio, reúne expoentes das Igrejas em Quênia, Tanzânia, Uganda, Etiópia, Sudão, Zâmbia, Eritreia, Malaui, Somália e Djibuti.

Em especial, serão debatidos os temas da reconciliação, da justiça e da paz, que foram as diretrizes do Sínodo especial para a África, realizado em 2009. Como afirma o Secretário-Geral das Comunicações Sociais para a Igreja em Uganda, Padre Philip Odii, “a finalidade deste encontro em Nairóbi é compartilhar as ideias sobre como as populações possam promover reconciliação, justiça e paz nas próprias regiões, tendo o documento pontifício como um guia”.

De acordo com Padre Odii, os participantes falarão abertamente a favor de uma economia regional que coloque os pobres em primeiro lugar, e se oponha decididamente a um sistema injusto que, com o pretexto de reduzir a pobreza, muitas vezes contribui para agravá-la.

“Deus deu à África recursos naturais notáveis. Diante da pobreza crônica da população, que sofre os efeitos da exploração e da apropriação indevida das riquezas, a opulência de alguns grupos abala as consciências”.

Por isso, destaca Padre Odii, “a Igreja deve falar contra um sistema injusto que impede às populações africanas consolidar a economia regional e desenvolver-se segundo as próprias características culturais”.


Fonte: Rádio Vaticano
Local: Nairóbi  
  

Maringá receberá a 2ª Semana de Arquitetura e Arte Sacra

Grandes nomes da arte sacra passarão pela cidade de Maringá (PR), nos dia 20 a 25 de agosto, participando da 2ª Semana de Arquitetura e Arte Sacra.

O evento tem como objetivo aguçar o olhar e aprofundar o conhecimento dos profissionais e da comunidade que trabalham na área, para que projetos de construção, reformas e restaurações dos espaços celebrativos e sagrados respondam às exigências da liturgia, em seus aspectos arquitetônicos, simbólico e funcional.

O evento terá como tema “Liturgia, Arte e Arquitetura: um espaço para celebrar”. Além de Cláudio Pastro, grande expoente dessa arte, o encontro terá as presenças do monge dom Ruberval Monteiro, padre Gustavo Hass, padre Claudemir Caprioli e da arquiteta Ângela Carolina Laino.

Outras informações podem ser obtidas no site da diocese de Umuarama, que integra a província Eclesiástica de Maringá.
 

Fonte: CNBB
Local: Maringá (PR)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

CCM promove Retiro de Espiritualidade Missionária

O Retiro de Espiritualidade Missionária é uma iniciativa promovida pelo Centro Cultural Missionário (CCM) que visa introduzir a um caminho de espiritualidade missionária por meio de momentos de oração, leitura orante, encontro, reflexão, partilha e celebração eucarística, animadores missionários e agentes de pastoral que atuam em comunidades, paróquias e dioceses no Brasil.

O retiro se realiza de 16 a 20 de julho, em Brasília, e é dirigido a animadores missionários e agentes de pastoral de todo Brasil que buscam um tempo de reflexão, de atualização e de renovação espiritual, para dar um novo significado ao seguimento de Jesus e à presença testemunhal no mundo de hoje.

Os cristãos e as comunidades cristãs são pessoas vivas. Como tais, são seres em contínuo crescimento e transformação. Eles estão num processo de "tornar-se", num permanente estado de conversão. A missão chama hoje a Igreja toda a uma profunda conversão e a uma transformação interior de si mesma. O Documento de Aparecida declara que "para nos converter numa Igreja cheia de ímpeto e audácia evangelizadora, temos que ser de novo evangelizados e fiéis discípulos" (DAp 549).

Portanto, "é necessário formar os discípulos numa espiritualidade da ação missionária, que se baseia na docilidade ao impulso do Espírito, à sua potência de vida que mobiliza e transfigura todas as dimensões da existência. Não é uma experiência que se limita aos espaços privados da devoção, mas que procura penetrá-los completamente com seu fogo e sua vida. O discípulo e missionário, movido pelo estímulo e ardor que provêm do Espírito, aprende a expressá-lo no trabalho, no diálogo, no serviço e na missão cotidiana" (DA 284).

O orientador do Retiro de Espiritualidade Missionária será Pe. Guido Labonté, pmé, canadense, missionário da Sociedade das Missões Estrangeiras de Quebéc, Cánada, especializado em missiologia pela Universidade Saint-Paul de Ottawa. Atuou como missionário no Japão durante dez anos e, em seguida, foi Conselheiro Geral do Instituto ao qual pertence. No Brasil desde 1992, trabalhou na Prelazia de Coari, AM, e na Arquidiocese de Manaus, onde foi Coordenador do Conselho Missionário Regional (Comire). De 2005 a 2008 exerceu o cargo de Diretor do CCM em Brasília. Atualmente se encontra em Manaus, AM, a serviço da Arquidiocese.

Para conferir a programação e efetuar as inscrições, acesse o site: www.ccm.org.br

Fonte: Centro Cultural Missionário CCM